Poemas POEMARO de JORGE DAS NEVES

* Jorge das Neves e seus poemas * Georgo das Neves POEMARO Idiomas ORIGINALMENTE utilizados PORTUGUÊS e ESPERANTO

12 setembro 2008

Na FLOR DO LÁCIO do AMOR














BUSTO de Dr.ZAMENHOF
(na Praça da República em São Paulo)
e
ÁS DE AMOR
(ícone do poeta em sua página no orkut)

Por decepções e habituais intrigas,
afastam-se pessoas bem antigas...
Pouco importa que me desprezem, sabe? (*)
Versos farei e espero o ranço acabe,
que o ÁS DE AMOR jamais será rasgado,
como (num pesadelo !) foi sonhado...
Quero meu ÁS bonito e vencedor,
perfeito emblema de elegante Amor,
quero que a vida seja cor-de-rosa,
que eu seja amado sempre em verso e prosa
em nossa bela Língua Portuguesa.
Amado, eu?!.. no Esperanto?... Com certeza,
se esperantista fosse um ser normal,
que praticasse o Amor Universal,
em vez de criticar e... fofocar!
O próprio Zamenhof ao discursar
no primeiro congresso de Esperanto, (**)
não pôde completar seu belo canto,(***)
embora merecesse toda a Glória.
Quantos desgostos teve!... Leia a história!
De vez em quando seu busto é visitado,
mas, sendo bronze, o Mestre está calado...
Não busco ser o errado ou ser o certo,
apenas vacinei-me e estou ... esperto,
pois decepções e habituais intrigas
afastam as pessoas bem antigas
...
(*) Abro exceção para EASP
(Esperanto-Asocio de San-Paulo)
sempre gentil para comigo, inclusive
não só publicando em LA LAMPIRO
poemas meus, como os ilustrando por iniciativa própria.
(**) Na França (em Boulogne-sur-Mer) em 1905
(***) Zamenhof era também poeta.
Exigiram-lhe não declamasse a estrofe de um poema,
apesar do elevado ecumenismo dos versos.

Jo®ge das Neves
que na Primavera de 2008
passará a registrar sua história
e produção literária bilíngüe
apenas no site em construção
http://jorgedasneves.com